Número total de visualizações de página

quarta-feira, 14 de março de 2012

SER…MULHER DA VIDA



A noite caiu
Lá fora a lua espreita
Nos sons da noite
Que minha alma desperta
Olhas-te no espelho
Tu mulher madura
Diz-me onde vais
Rasgando esse disfarce 
Vestindo o véu
Desnudas o corpo
Na procura de um abraço ou algo mais

Enfeitas a pele com a pele daquele
Que te queima a chama
Que te esmaga a alma
Abres a porta do mundo
Vadias na calçada
No âmago profundo
De mulher mal amada

Vendes teu corpo
No cobre furado
Na nota deslavada
De uma vida inteira
Achada e perdida
Numa reles esquina da cidade
Que não te sentindo ferida
Olha-te….despreza-te
Usa e abusa de ti…descarta-te
E tu que fazes?!
Manténs esse rosto pintado disfarçado
Que nem fresco retrato
Escondes a dor
De ter que dar o corpo
Sem sentir Amor
2008

1 comentário:

carlosacebolo disse...

Está muito bom. Parabéns pelo grande tributo que presta à poesia.