Número total de visualizações de página

domingo, 9 de novembro de 2008

À espera

( foto de meu amigo ALHenriques)




Sento-me suavemente
No lodo feito berço
Que me acolhe
Olhos no longínquo
E vejo em ti
A incerteza da hora
Alguma alegria
Pobreza ...
Solidão.
O sol brilha ténue
Nas pequenas poças
Que teimam em ficar
Fugindo à maré
Que se deliciam com ele
Senti um sussurrar
Da noite que surge
A humidade que cai
Gera pérolas de cristal
Nos juncos esquecidos
Nos morros enlameados
Indicando que é hora
Do recolher...
Em mais um ocaso colossal
Não tarda ela virá
Mas eu fico aqui
Sentado...relaxado
Acompanhado...
No entanto estou...
À tua espera

06.11.2008
( 23h00)

2 comentários:

Migalhento disse...

Por favor...sai do lodo!!
Preciosa demais tua mensagem.
Adorei!!

Antonio disse...

Navegar, indo de porto em porto...Estás a ver aquelas manchinhas de água lá ao fundo?! É a maré que sobe e quem sabe, me afogue a solidão...