Número total de visualizações de página

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Incerteza Estranha

Gostava de saber quem fui
Em meu tempo já passado
Por onde andei
De que longura provenho
Por que terras chorei
Em algum pranto
Por mim derramado
Encontro-me enigma
Aqui e agora
Neste estranho presente
Que se ramifica
Que se estende
Pelo universo fora
Nem sempre goste de ser
Como sempre...sou
Tenho receio de ofertar
Descaminho por onde passo
Na alegria do meu viver
Na forma estranha
De tudo amar
Nos trilhos da vida
Por onde sigo
E me embaraço
Nos corações do mundo
A onde vou...
Nem sempre para ficar.
Mas...não sei ser de outra maneira
Sou alegre
Bondosa
Brejeira
Sei ser tudo
Ou não ser nada
Só por simples brincadeira
Sei que caminho
Para o desconcertante
Incógnito
Desejado futuro
E que o procuro
Da melhor forma
E se não for
A desejada
Tentarei aquela que seja
A mais simples
Apaixonada
A mais verdadeira!!
03.01.05

Sem comentários: