Número total de visualizações de página

sábado, 27 de abril de 2013

Memórias da minha infância


 (  Fotografia cedida pelo fotografo ASS )



Naquelas paredes brancas
Guardo a meninice
Os sonhos acalentados
Debruados de azul cobalto
Que fui perdendo ao longo dos tempos
Sem que eu sentisse…
Hoje... observo e reparo
Eu…Já adulto
Recordo com ternura
Aqueles fins de tarde
Brincando na rua
Naquelas paredes brancas
Quase já…ninguém lá mora
Uns cresceram…outros morreram
Outros…foram embora…
Naquelas paredes brancas
O tempo em mim parou
Já não voa.

1 comentário:

Arlindo Serra Silva disse...

Tens aqui uma injunção perfeita entre a beleza do poema, de todas as suas palavras e a foto que tão bem tal ilustra. Os meus parabéns pela tua sensivel e prestimosa escrita.