Número total de visualizações de página

terça-feira, 30 de março de 2010

Estou de partida....



Carrego o bilhete
E na bagagem a Alma
Traço no mapa da vida
O caminho sem volta
Com destino só de ida
Pois...estou de partida


Deixo pedaço de mim
Fazendo do rochedo
Grão de areia
Visitei cidades
Vilas...aldeias
Dei-me a beber
Às fontes...
Esqueci o canto
E o perdi...
Para meu espanto
Num qualquer recanto
Onde descobri o encanto
No segredo secreto
Do enredo da teia
Onde ele se emaranhou
Dissipando o medo
Que nem voo picado
Pelos vales e montes
E estragou a pintura
De uma tela já feia

Vou ao encontro
Da minha jóia
Minha Ilha no mar
Carregando na memória
Pedaços de história de encantar
Estou de partida
E jamais irei voltar
É que a cidade...
Deixa-me ferida...
E é lá que eu quero...
Ver todos os dias
O sol  raiar.



30.03.10
23h21

2 comentários:

Ana Paula disse...

Um poema maravilhoso e uma imagem magnífica registada no molhe sul acho eu.:-)
Não estejas de partida, fico à tua espera "Gaivota" para observar as lindas imagens e ler os belos poemas.
Beijinhos grandes

Migalhento disse...

Na escrita não esperava nada de menor qualidade...
A fasquia foi ficando elevada mas...aceita os nossos bilhetes de vinda. Vai à ilha se for essa a tua sina e volta!!
Tem calor nesta praia de cá. É só esperar...
Abç