Número total de visualizações de página

sexta-feira, 6 de março de 2009

Pedaço de Gente

É como seixo
Pedaço de lousa
Retalho no horizonte
Com vida
Com história
Que os ribeiros cantantes
Envolvem e removem
E os rios com doçura recolhem

Pedaço de gente
É que nem gomo
Fruta natural
Crescida e amada
Pelo orvalho da noite
No sol da madrugada
Sobre o húmido vale
Onde o frio obriga
Ao recolher do pensamento
Faz acender a lareira
Para aquecer a Alma
E ouvir o vento

Pedaço de gente
Tem coração terno
Tem voz meiga
Abraço quente
Pedaço de gente
É fogo ardente
Consome-se...completa-se
Porque mesmo sendo pedaço
É pedaço...mas inteiro
É Gente no seu TODO
No seu sentir
Muito...VERDADEIRO.

06.03.09

Sem comentários: